Introdução ao PMR-446

 

O PMR446 (Personal Mobile Radio) é um serviço de comunicações via rádio aberta a todos os cidadãos para fins pessoais ou profissionais e que não exige o licenciamento dos operadores.

    Trata-se, basicamente, de um sistema de comunicações disponível na União Europeia a qualquer pessoa; ao contrário das faixas de radioamadorismo ou, da Banda do Cidadão (CB) em alguns paises,  o cidadão não tem de solicitar uma licença às autoridades competentes (no caso de Portugal, a ANACOM). Para os potenciais ou actuais utilizadores, basta adquirir uns "walkie-talkies" PMR446, seleccionar um canal e eventualmente um tom CTCSS (ou eventualmente DCS) e carregar no botão para falar. Como o nome sugere, o PMR446 ocupa a faixa dos 446 MHz (banda UHF) e dispõe de 16 canais de comunicação, permitindo, em teoria e à partida, 16 transmissões em simultâneo.

    Note-se que o PMR é o equivalente europeu ao FRS (Family Radio Service), utilizado nos Estados Unidos, no Brasil, e noutros países do continente americano, mas que utiliza a faixa 462 - 467 MHz. Ao dispôr de um transceptor (emissor-receptor) PMR, poderá utilizá-lo legalmente em grande parte da União Europeia; todavia, se viajar para os Estados Unidos, só poderá utilizar a faixa dos 446 MHz se tiver licença de radioamador; noutras situações, terá de adquirir um equipamento FRS. No Brasil, não poderá, aparentemente, utilizar o PMR446, tendo, igualmente, de adquirir um transceptor FRS. Relativamente aos países lusófonos africanos, desconhecemos a situação legal, por isso sugerimos aos interessados que contactem as autoridades de regulação do espectro radioeléctrico do seu país no sentido de apurar se é legítimo adquirir e utilizar equipamentos PMR ou serviço similar.

    Relativamente às características técnicas do sistema, refira-se que, em termos de cobertura radioeléctrica, o PMR atinge facilmente umas centenas de metros dentro das cidades; em terreno aberto sem obstáculos e com linha de vista entre os dois transceptores, consegue-se chegar até 8 a 10 quilómetros. Em localizações muito favoráveis, bem como em condições de propagação excepcional, há quem consiga, por vezes, atingir dezenas até centenas de quilómetros! Por imposição legal, os equipamentos à venda têm a potência máxima de emissão restringida a 0,5 W e só podem funcionar com a antena incorporada no aparelho. Não obstante, existem entusiastas que desafiam a técnica e a legalidade ao modificarem os seus equipamentos no sentido de melhorar significativamente as prestações destes. Saliente-se que a ligação de uma antena exterior ao transceptor, bem como o aumento da potência de emissão ou outras modificações electrónicas ao aparelho é ilegal em Portugal, pelo que o dispositivo adulterado poderá ser sujeito a apreensão por parte das autoridades policiais e o seu proprietário autuado nos termos da lei.

Texto extraído do artigo original em www.mundodaradio.com, adaptado e actualizado por Lidercom-Web, imagem extraída da internet.